5 dicas para uma gestão da cadeia de suprimentos bem elaborada

7 minutos para ler

Existem diversas estratégias no ramo logístico que permitem o desenvolvimento de diferenciais competitivos, impulsionando sua produtividade, seus resultados e, consequentemente, seu desenvolvimento no mercado. A realização de uma boa gestão da cadeia de suprimentos é uma das táticas mais eficientes para a obtenção desses benefícios.

Porém, a boa vontade não basta para que essa gestão traga os resultados desejados. É fundamental a aplicação de técnicas específicas que potencializam a qualidade da gestão exercida dentro do fluxo de produção. Para saber quais são elas, leia, neste post, a importância prática de realizar essa gestão e, após, 5 dicas para melhorá-la. Boa leitura!

A importância de fazer a gestão da cadeia de suprimentos

A cadeia de suprimentos — ou Supply Chain, em inglês — é um conjunto de atos que envolvem operações de compra, armazenamento, embalagem, movimentação, transporte, distribuição e as demais necessárias para que tudo ocorra corretamente.

Assim, pode-se afirmar que a gestão dessa cadeia é um planejamento que engloba as atividades logísticas internas e externas do negócio, além da colaboração e da coordenação dos envolvidos, sempre objetivando o aprimoramento dos processos. Como se trata de um processo amplo, efetuá-lo de forma eficiente e bem planejada concederá grandes benefícios ao negócio. Os principais desses benefícios são:

  • aquisição de insumos de maior qualidade e com melhor custo-benefício, já que o relacionamento com fornecedores será aperfeiçoado;
  • oferecimento de produtos de melhor qualidade e por preços mais justos para o cliente;
  • minimização de perdas no processo de produção;
  • diminuição de erros e defeitos nas mercadorias destinadas ao cliente final;
  • redução de custos no transporte e nos prazos de entrega;
  • maior agilidade nas entregas;
  • maior satisfação dos clientes.

As 5 melhores dicas para realizar a gestão de forma eficiente

1. Utilize a tecnologia como aliada

O primeiro requisito para aproveitar os benefícios listados consiste na implementação de ferramentas tecnológicas na cadeia de suprimentos. A elevada complexidade da gestão torna inviável que tudo seja controlado manualmente, pois são incontáveis registros, cadastros, prazos, bens e outros elementos a serem administrados.

Graças ao desenvolvimento da tecnologia, existem sistemas desenvolvidos especialmente para satisfazer as necessidades de um setor logístico, fazendo com que diversas operações burocráticas, complexas e estressantes sejam deixadas a cargo dos computadores. Uma plataforma de gestão realiza cálculos e fretamento, estima prazos, preenche e emite documentos, entre inúmeras outras ações, automaticamente.

Isso aumenta a agilidade e minimiza a ocorrência de erros, já que computadores conseguem efetuar um grande volume de tarefas em um curto prazo e sem falhas. Além disso, a tecnologia é primordial para a integração dos setores, pois as máquinas realizam troca de dados de forma instantânea.

2. Aposte em profissionais capacitados

São os colaboradores e parceiros que realizarão as atividades rotineiras da empresa, por isso, não podem ser negligenciados dentro do setor logístico. Uma boa rede de fornecedores é um requisito mínimo para garantir a integridade da cadeia de suprimentos.

Para encontrar os mais adequados ao trabalho, realize uma pesquisa aprofundada de potenciais parceiros e considere seu nível de comprometimento, custo-benefício, alinhamento de compliance, experiência de mercado e qualidade do serviço prestado.

Recomenda-se contratar uma variedade de fontes para aumentar seu poder de barganha com os fornecedores, bem como para evitar que o negócio seja dependente de somente um provisor, o que evita empecilhos quando um fornecedor enfrentar algum problema que prejudique a entrega.

Por fim, é relevante investir na integração com os parceiros com o intuito de potencializar os resultados. Pode-se realizar treinamentos em conjunto, promover visitas, entre outros atos que tornem as relações mais saudáveis e confiáveis.

3. Concentre-se na satisfação do cliente

Antes de implementar mudanças na empresa, é importante ter em mente que o foco principal da cadeia produtiva deve ser a satisfação dos clientes. Alguns atos, como aumento da eficiência de produção, aquisição de materiais de melhor qualidade, aprimoramento da segurança da frota, agilidade na entrega e outras qualidades, devem ter essa finalidade.

Por essa razão, é importante desenvolver programas de fidelização, realizar pesquisas de satisfação e, principalmente, realizar os investimentos necessários para atender a toda a demanda com qualidade. Lembre-se de que a sobrevivência e a rentabilidade da empresa dependerão da percepção dos clientes sobre seu negócio.

4. Aprimore a comunicação

A boa comunicação entre os setores é um requisito para a boa gestão da cadeia de suprimentos, devendo os responsáveis tomarem as medidas para otimizá-la. Por exemplo, se o setor de produção identificar que certa matéria-prima não traz a qualidade desejada, a comunicação deve ser rápida e clara para que o fornecedor seja trocado o quanto antes ou para que o problema seja solucionado agilmente.

Entre as principais qualidades de uma boa comunicação, estão a transparência, a objetividade, a clareza e a velocidade, já que, quanto mais rápido a informação é absorvida pelos demais operadores do processo, maiores são a redução de perdas, a otimização da eficiência e a velocidade da resolução de problemas.

5. Invista na terceirização de frotas

A terceirização de frotas é uma tendência da logística que cria um volumoso número de vantagens para o negócio, incluindo o aprimoramento da cadeia de suprimentos. Como o Supply Chain se baseia no transporte de produtos, entregar uma carga sem atrasos pode ser um grande diferencial competitivo no mercado.

Por exemplo, se os veículos da empresa apresentarem muitos problemas e estragarem ou se ocorrer uma situação em que seja necessário ter mais carros à disposição para atender à demanda, a organização que depende somente de sua frota própria terá grandes problemas.

Nessa hipótese, ela atrasará entregas, cometerá erros, deixará de atender a certos clientes, entre outros empecilhos que podem ser de difícil reparação quanto às finanças e reputação do negócio.

Por outro lado, com a terceirização de veículos, o negócio não enfrentará esses problemas, já que uma de suas principais vantagens é a flexibilidade, sendo possível aumentar ou diminuir a frota conforme o tamanho da demanda, o que torna o negócio mais escalável (poderá crescer e expandir-se mais facilmente).

Assim, sua empresa consegue atender ao público em épocas sazonais de elevadas vendas, como final de ano, além de evitar que a frota fique ociosa, o que gera gastos (como manutenção) sem retornos financeiros à entidade. Como se não bastasse, a terceirização ainda fornece múltiplos benefícios, como:

  • substituição de veículos;
  • diminuição da burocracia, já que o negócio conseguirá agilmente os veículos necessários, sem precisar passar por um longo processo burocrático para adquiri-los;
  • manutenção em dia, já que a terceirizada será responsável por fazê-la;
  • tecnologias de ponta nos veículos recebidos;
  • redução de custos ao eliminar gastos com manutenção preventiva, substituição de veículos, implementação de tecnologias etc.; entre outras vantagens.


É importante que o negócio invista na gestão da cadeia de suprimentos, pois apostar somente no feeling — que é a pura intuição do gestor — deixará o empreendimento à mercê da sorte, potencializando os riscos de prejuízos e perdas. No entanto, com todo o fluxo de produção bem elaborado, a empresa conseguirá o sucesso desejado no mercado.

 

Agora, assine já a nossa newsletter e receba periodicamente nossas publicações diretamente em seu e-mail!

Posts relacionados

Deixe uma resposta