Custo de veículo de frota: você sabe quanto paga mensalmente pelos carros de sua empresa?

7 minutos para ler

Gerenciar a frota de uma empresa é tarefa desafiadora, pois são vários fatores que devem ser trabalhados pelo gestor responsável. Uma das contas mais complicadas que deve ser administrada é a relação entre o custo de veículo de frota.

Ignorar esses custos pode fazer com que o negócio arque com contas negativas e prejuízos no final de cada mês. Por isso, é essencial que o gestor saiba quais são esses custos e como calculá-los, assim conseguirá reduzir gastos desnecessários, aumentar os lucros e assegurar o desenvolvimento da empresa.

Neste artigo, vamos falar sobre a importância de saber o custo mensal de cada veículo da frota, como listar esses gastos e realizar o cálculo, os impactos anuais para as empresas e como escolher a melhor solução para esse problema! Confira!

A importância de saber o gasto mensal

O gasto mensal de cada veículo é uma equação mais complexa do que muitos imaginam, pois são considerados dois fatores: o primeiro consiste em saber o valor dependido mensalmente para manter o veículo operando. Isso inclui pagamentos como seguros, impostos, combustíveis etc.

A segunda vertente é a depreciação do automóvel, que consiste na desvalorização do bem. Assim que o veículo sai da concessionária, ele começa a perder seu valor gradativamente. Essa depreciação se agrava com o uso constante.

No momento em que a empresa deseja revender um carro antigo, seu preço estará bem abaixo de quando foi adquirido. Manter o controle do gasto e da depreciação é essencial para saber se o bem está gerando lucros ou despesas além do necessário e qual o momento ideal para vendê-lo.

A lista de gastos do custo de veículo de frota

O primeiro passo para atingir o equilíbrio nas finanças do negócio é conhecer os principais custos da frota e saber controlá-los. Para isso, separe os custos por fixos e variáveis:

Custos fixos

São aqueles que não se alteram, independentemente da demanda da empresa e de suas operações. Eles sempre terão um valor fixo no cálculo do custo:

  • DPVAT: seguro obrigatório, seu valor é em torno de R$ 42 mensais para carros;
  • seguros: geralmente 5% do valor do veículo;
  • impostos: consistem no IPVA, que varia entre 1% a 6% do valor venal do veículo, conforme cada estado;
  • licenciamento: valor para renovar o licenciamento do veículo, custa cerca de R$ 100,00 anualmente, conforme cada estado;
  • sistema: software de gestão adquirido pela empresa para controlar a frota e as operações logísticas;
  • depreciação: inevitável desvalorização do veículo a cada ano.

A taxa de depreciação anual de um automóvel para transporte de pessoas é de 20% e para transporte de mercadorias é de 25%, conforme código NCM 8703 e 8704 da Instrução Normativa RFB n.º 1700/2017.

Custos variáveis

Como o nome indica, nessa classificação estão os custos que podem aumentar ou diminuir conforme a utilização do veículo. Por exemplo, se o automóvel percorreu um trajeto mais longo e com estradas mais desgastadas, maiores serão os gastos com a manutenção. Esses custos são:

  • manutenções: tanto as preventivas quanto as necessárias após incidente;
  • combustíveis e lubrificantes: dependem do consumo do veículo e peso da carga transportada;
  • pneus: sua substituição depende do trajeto percorrido;
  • pedágios: também depende do trajeto;
  • multas: dependem principalmente da capacitação dos motoristas;
  • outras despesas: estacionamentos, lavagem etc.;
  • despesas extraordinárias: gastos ocasionais, como a necessidade de troca do para-brisa em virtude de uma chuva forte.

É importante saber que veículos muito desgastados ou mais antigos podem consumir mais combustível e necessitam de manutenções mais frequentes. Conforme o tempo passa, maiores serão os gastos pela empresa com o veículo.

O cálculo dos gastos mensais

Para montar a equação dos gastos de cada veículo, calcule os custos fixos (calculando-se os valores mensais) e faça uma média mensal dos custos variáveis listados. Veja o exemplo de um cálculo mínimo de um veículo com valor de R$ 60 mil, que percorre 900 quilômetros mensalmente:

  • IPVA de 5%: R$ 3 mil anual, R$ 250,00 por mês;
  • seguro de 5%: R$ 250,00 por mês;
  • seguro obrigatório: R$ 67,84 anual, R$ 3,50 por mês;
  • licenciamento: R$ 100,00 anual; R$ 8,30 por mês;
  • estacionamentos ocasionais: R$ 30,00 por mês;
  • pedágios: custo depende do trajeto;
  • manutenção preventiva: R$ 120,00 por mês;
  • troca de óleo: R$ 20,00;
  • lavagem: R$ 30,00;
  • combustível: fazendo 10km por litro, com combustível a R$ 4,50, fica cerca de R$ 405,00;
  • depreciação de 25%: R$ 12 mil ao ano, sendo R$ 1 mil mensais;

Ao somar os fatores acima obtêm-se: R$ 2.116,8 mensais. É importante lembrar que é preciso incluir despesas extraordinárias e quaisquer outros gastos decorrentes do carro.

O impacto anual dessa despesa para PMEs

Conforme os cálculos acima mencionados, pode-se afirmar que o gasto anual com cada carro será de, no mínimo, R$ 25.401,6, pois na conta não foram incluídas multas, despesas extraordinárias, troca de pneus e outros custos variáveis que podem ou não serem necessários.

O gestor também deve ficar atento com uma frota ociosa, pois veículos parados também têm despesas fixas, como licenciamento, IPVA, depreciação etc. Além de não gerarem lucros ao negócio, o não pagamento desses custos ainda podem gerar multas e apreensão.

As Pequenas e Médias Empresas (PMEs) são as sociedades que mais são prejudicadas com essas despesas. Os gastos com veículos são excepcionalmente altos e causam intenso impacto negativo em suas finanças, o que impede o desenvolvimento dessas empresas.

Caso os gestores não busquem por métodos que reduzam esses custos, a situação pode se agravar e prejudicar ainda mais a empresa e até levá-la à falência.

A terceirização como uma solução para esse problema

A solução ideal para as PMEs é eliminar completamente essas despesas. Esse objetivo é alcançado ao contratar uma empresa especializada no aluguel de carros e terceirização de frotas.

Com isso, a sua companha apenas arcará com o pagamento de um valor firmado entre as partes, eliminando os gastos e preocupações gastos referentes aos veículos.

Os benefícios da terceirização vão além da economia com custos e incluem vantagens administrativas, pois também se elimina as burocracias com documentação dos veículos, preocupações com depreciação e processos de compra ou venda.

Isso garante a maior produtividade, pois reduz a carga de trabalho e dores de cabeça sobre os gestores, o que permite que eles se dediquem inteiramente à atividade foco do negócio.

A relação do custo de veículo de frota é mais complexa do que muitos administradores pensam, gerenciar os gastos dos carros é uma condição essencial para manter a saúde financeira da sua empresa.

Aprofunde-se no tema! Leia aqui como a terceirização de frotas ajuda a reduzir custos!

 
Posts relacionados

Deixe uma resposta